Déficit de atenção na adolescência (TDAH): o que é e como tratar

O TDAH afeta de 3% a 5% das crianças em idade escolar, acometendo principalmente meninos, segundo a ABDA (Associação Brasileira de Déficit de Atenção). Mas afinal, o que é TDAH?

Trata-se de um distúrbio neurológico crônico, que leva a inquietação, falta de atenção e desassossego da criança ou adolescente.

É comum que esses sinais se manifestem na infância e, se não forem tratados, podem se agravar durante o resto da vida.

Para ajudar você a entender mais sobre o que é TDAH, as suas causas, sintomas, tratamentos e muito mais, preparamos esse artigo completo. Acompanhe!

O que é o TDAH?

O TDAH é a sigla para Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade e trata-se de um um distúrbio neurobiológico crônico que causa desatenção, agitação, falta de concentração e impulsividade.

Segundo a Associação Brasileira de Déficit de Atenção, esse distúrbio afeta principalmente crianças e adolescentes, com mais chances de ocorrer entre meninos.

E ela acontece porque os seus portadores têm alterações na região frontal e suas conexões com o resto do cérebro.

Essa parte do cérebro é a que nos inibe de comportamentos inadequados e é responsável também pela nossa memória, atenção, organização, auto controle e planejamento.

Embora ainda não seja totalmente entendido pela comunidade científica, o distúrbio é classificado em três tipos, sendo eles:

  • TDAH com predomínio de sintomas de desatenção;
  • TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade;
  • TDAH combinado.

O que caracteriza o déficit de atenção na adolescência?

O déficit de atenção na adolescência é caracterizado principalmente pela dificuldade em acompanhar conteúdos da escola.

Além disso, ele também se caracteriza por vícios em atividades, como jogos eletrônicos.

Há também o fato de existir dificuldades em manter uma rotina, fazer tarefas simples do dia a dia, como arrumar a cama, além de ter boa memória para repassar informações importantes sem se confundir.

Principais sintomas do déficit de atenção na adolescência

Ao compreender melhor o que é TDAH, entramos nos principais sintomas do déficit de atenção na adolescência, que vão desde mudanças no humor, esquecimentos frequentes, falta de concentração e até mesmo egoísmo.

Confira todos os sintomas em detalhes na sequência e entenda melhor o que é TDAH.

Alteração de humor

Um dos principais sintomas do déficit de atenção na adolescência é a mudança de humor.

Com ela, ora o jovem fica raivoso, ora demonstra estar ansioso, triste, feliz e até mesmo agressivo.

Esquecimento

O esquecimento frequente também é sintoma do TDAH e costuma ocorrer pela falta de concentração do adolescente.

Assim, é comum que tarefas do dia a dia e compromissos importantes não sejam cumpridos por conta dessa falha na memória.

Falta de concentração

Como já adiantamos acima, a falta de concentração também é um sintoma do TDAH.

E ela corre principalmente para fazer atividades na hora, como uma tarefa da escola ou manter um diálogo.

Esse sintoma é presente até mesmo quando o jovem se esforça muito para manter a concentração, mas acaba falhando.

E essa falha pode levar a casos de baixa autoestima, dilemas na confiança em si mesmo e até depressão ou outros problemas na saúde mental.

Inquietação

A inquietação leva o adolescente portador de TDAH a não conseguir se manter quieto em determinadas situações.

Dentre essas situações, podemos citar o colégio, em que ele precisa ficar sentado e em silêncio, prestando atenção na aula, ou até mesmo jantares e almoço, em que todos ficam mais concentrados na alimentação.

Situações assim são um desafio para os portadores de TDAH e os fazem levantar-se da mesa constantemente, ficar mexendo as pernas, pegando objetos para se distrair.

E quando a sua atenção é chamada, eles ficam extremamente irritados.

Indisciplina

A indisciplina também é muito marcante em jovens com déficit de atenção.

Para eles, todas as regras precisam ser questionadas e muitas vezes descumpridas, para desafiar os limites e, mesmo que não percebam, os colocar em perigo.

Egoísmo

É comum que pacientes com TDAH sejam considerados frios, egoístas e insensíveis com as outras pessoas de seu convívio.

Isso ocorre porque existe neles uma barreira para manter relacionamentos, logo, essas são características que são reflexo desse transtorno.

Quais são as causas do déficit de atenção?

Ao falarmos das causas do déficit de atenção, ressaltamos que ele ainda não é um transtorno 100% entendido pela comunidade científica.

Como falamos no tópico sobre o que é TDAH, existem diversas teorias que tentam entender as causas que levam ao seu desenvolvimento. Abaixo, separamos algumas delas.

Fatores Genéticos

Algumas pesquisas apontam que a genética influencia no diagnóstico de TDAH, pois alguns ensaios mostraram que ela é comum em crianças cujos pais também apresentam os sintomas.

Problemas na gestação

Há linhas de estudos que relacionam o TDAH a uso de algumas substâncias durante a gestação, como álcool e nicotina.

Essas pesquisas apontam que essas substâncias afetam diretamente a região frontal orbital do cérebro do bebê, desencadeando o TDAH.

Além do uso das substâncias, estudos relacionam o desenvolvimento de TDAH a mulheres que tiveram problemas no parto.

Exposição ao chumbo

O chumbo é um tipo de metal que pode se acumular em nosso organismo e desencadear problemas de saúde. Para alguns pesquisadores, ele está relacionado com o TDAH.

Desafios familiares

Outros estudos apontam que o TDAH pode ser causado por problemas de ordem familiar que a criança vivenciou.

Entre eles, podemos citar a ausência do pai, ausência da mãe, falta de rotina, brigas entre parentes, violência doméstica, vícios dos pais e afins.

Como diagnosticar o déficit de atenção?

O diagnóstico do déficit de atenção é bastante complexo e se baseia na observação e relato dos sintomas por parte do adolescente e de seus familiares.

Para que a criança ou adolescente seja diagnosticada com o distúrbio, é preciso apresentar pelo menos 6 sintomas de desatenção ou hiperatividade-impulsividade.

Nesta questão, ressaltamos que o TDAH tem 18 sintomas, que são divididos em três grupos: 9 relacionados à desatenção, 6 à hiperatividade e 3 à impulsividade.

Como tratar o déficit de atenção?

O déficit de atenção pode ser tratado com terapias com psicólogos ou psiquiatras, com medicamentos e com mudanças de hábitos.

As terapias variam para cada pessoa, podendo ser  terapia comportamental, terapia cognitiva, terapia cognitivo-comportamental, treinamento de habilidades sociais, terapia psicoeducacional e até mesmo terapia fonoaudiológica.

Os medicamentos costumam ser estimulantes, para acalmar o paciente, diminuindo a hiperatividade e impulsividade.

Já as mudanças de hábitos são indicadas para cada paciente, após passar pela terapia e iniciar o tratamento com medicamentos.

Algumas mudanças comuns são: diminuir o consumo de cafeína e açúcar e  começar atividades físicas intensas.

A importância do apoio familiar antes e após o diagnóstico de TDAH

Agora que você entende melhor o que é TDAH, é importante saber que caso o seu filho seja diagnosticado com esse distúrbio, o apoio familiar é fundamental.

Tenha sempre em mente que ele não é capaz de controlar o seu jeito, hiperatividade, inquietação e esquecimentos, portanto, tenha paciência com ele.

Além disso, após o diagnóstico positivo, busque ajuda de psicólogos, para reduzir todos os sintomas negativos e seguir com os cuidados e apoio dentro de casa.

TDAH tem cura?

O TDAH não tem cura, mas é possível reduzir os seus sintomas durante a adolescência e fase adulta.

Por isso, é fundamental seguir o tratamento com profissionais como psiquiatras, psicólogos, pedagogos e fonoaudiólogos.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de acompanhar nosso blog para conferir mais informações importantes para a rotina escolar dos jovens!

Conclusão

Com esse artigo, a nossa missão era esclarecer a você o que é TDAH e mostrar alguns de seus principais sintomas, que são:

  • alterações de humor;
  • esquecimento;
  • falta de concentração;
  • inquietação;
  • indisciplina;
  • egoísmo.

Além disso, apresentamos alguns fatores que levam ao TDAH, mas ressaltamos que ele ainda não é um transtorno 100% entendido pela comunidade científica, portanto, existem diversas teorias em torno dele.

E lembre-se: caso o seu filho seja diagnosticado com o TDAH, tenha paciência com ele e siga o tratamento com psiquiatras, psicólogos, pedagogos e fonoaudiólogos.

Comentários do Facebook

Deixe um Comentário