Desequilíbrio Emocional: o que é, sintomas e quando se preocupar

Quando uma pessoa passa por uma montanha russa de sentimentos que afetam o seu humor e levam a reações desproporcionais aos acontecimentos, a psicologia chama de desequilíbrio emocional.

E engana-se quem pensa que isso é algo que acontece apenas com os adultos.

As crianças também podem apresentar essa condição, refletindo em sintomas como timidez, agressividade, dificuldades de socializar e afins.

E para te ajudar a entender os quadros de desequilíbrio emocional em crianças, os seus sintomas, causas e tratamentos, preparamos este artigo completo.

Acompanhe!

O que é o desequilíbrio emocional?

 

O desequilíbrio emocional é uma montanha russa de sentimentos e de humores, que levam a reações exageradas a situações que não são positivas no cotidiano.

Todos nós podemos passar por casos de desequilíbrio das emoções, mas algumas pessoas são mais suscetíveis a isso e apresentam esses quadros com mais frequência.

Assim, essas pessoas que são mais suscetíveis não conseguem encontrar modos de lidar com acontecimentos negativos da vida de forma razoável, entrando em um conflito interno, que acaba se externalizando em suas reações.

E além da alteração de humor e da montanha russa de emoções, o desequilíbrio também causa efeitos físicos, como tensão muscular, dores de estômago e insônia.

Frequentemente o desequilíbrio está vinculado a um distúrbio mental, como ansiedade e depressão.

Portanto, é preciso buscar um tratamento de saúde mental para controlar as emoções, cessar a luta interna e não deixar chegar ao ponto que o desequilíbrio emocional seja um estado fixo.

O que causa o desequilíbrio emocional?

O desequilíbrio emocional geralmente é causado pelo acúmulo de emoções, que levam o indivíduo ao estresse, nervosismo e até mesmo frustração.

Mas ele também pode ser ocasionado por causas específicas, como sobrecarga no colégio, no trabalho, brigas familiares e encerramento de relacionamentos.

Por isso, mais importante do que entender as suas causas, é compreender que o desequilíbrio das emoções ocorre por mudanças repentinas de humor, com comportamentos e reações exageradas a situações que não são positivas no dia a dia.

E destas reações e comportamentos, podemos citar como a mais comum a agressividade, seja física ou verbal.

Qual a importância do desenvolvimento emocional na infância?

O desenvolvimento emocional na infância é importante porque o que acontece na vida de crianças, influencia completamente a personalidade, atitudes e escolhas de suas vida adulta.

Tudo que ocorre principalmente nos três primeiros anos de vida tem fortes impactos em crianças, pois é nessa fase que a atividade cerebral costuma ser mais intensa, bem como o desenvolvimento emocional.

Então, se a criança é muito criticada, comparada ou sofre maus tratos, isso impacta em seu futuro, a tornando um adulto repleto de inseguranças, negatividade e problemas de autoestima.

Principais sintomas de distúrbios emocionais na infância

Os principais sintomas de distúrbios emocionais na infância vão desde dificuldades na escola, tristeza e timidez, até medo, irritabilidade, agressividade, entre outros.

Na sequência, entramos em mais detalhes sobre cada um deles. Confira!

Dificuldade de aprendizado e concentração

As dificuldades no colégio são um dos principais sintomas do desequilíbrio emocional na infância.

Isso reflete em alunos impulsivos, descontrolados, hiperativos e que têm dificuldade em prestar atenção nas aulas, afetando o seu rendimento escolar.

Esse sintoma também pode estar relacionado ao Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), em que contamos mais detalhes e sintomas em outro artigo, que para lê-lo você pode clicar aqui.

Tristeza constante

O desequilíbrio também se apresenta em crianças as deixando deprimidas, sem vontade de se divertirem com brincadeiras.

Se não tratada o mais rápido possível, essa tristeza pode agravar a depressão. Portanto, fique de olho se o seu filho não apresenta um quadro de tristeza constante.

Timidez exagerada

A timidez é sintoma de desequilíbrio das emoções de crianças sempre que se apresenta de forma exagerada, com tendências anti-sociais.

Aqui, a criança prefere ficar isolada e evita contatos sociais até mesmo com colegas da sua idade.

Medo

O medo é um sentimento comum em crianças até um certo ponto. Geralmente ele é usado em histórias que dão uma lição de moral nelas, como bicho-papão, boi da cara preta e o lobo mau.

Porém, ela é um sintoma de desequilíbrio emocional quando a criança tem medos irracionais, intensos e que a paralisam.

Além do mais, ele também é preocupante quando leva a criança a ter sintomas físicos, como tremedeira, taquicardia e falta de ar.

Irritabilidade e agressividade sem razão aparente

A irritabilidade e agressividade provavelmente sejam os sintomas de desequilíbrio emocional mais fáceis de notar.

Eles ocorrem quando a criança avança fisicamente ou verbalmente nos pais, familiares, colegas, professores e até mesmo em desconhecidos.

Dificuldade de interagir com outras crianças

A dificuldade em interagir com outras crianças é um sintoma que costuma andar de mãos dadas tanto com a timidez, como com o medo.

Em relação a timidez, a dificuldade de socializar ocorre porque ela prefere o isolamento.

Em relação ao medo, pode ser que a criança esteja desenvolvendo fobia social, o que a leva a temer ser julgada ou rejeitada.

Isso reflete em outros sintomas que também já citamos, como a irritabilidade e a tristeza extrema.

Problemas para dormir

Os problemas para dormir são sintomas do desequilíbrio das emoções de crianças tanto quando ocorre a falta de sono, como quando ocorre o excesso dele.

Nos primeiros anos de vida, ainda quando bebê, é comum que os pequenos tenham instabilidades no sono.

Mas quando essas instabilidades seguem com a criança, pode ser um sinal de alerta, podendo representar medos em excesso, depressão, fobia ou ansiedade.

Como tratar o desequilíbrio emocional?

O desequilíbrio emocional em crianças normalmente é tratado com terapia cognitivo-comportamental (TCC).

Esse tipo de terapia ajuda justamente na questão das emoções que precisam ser mudadas, focando em alterar pensamentos e comportamentos que levam ao desequilíbrio emocional.

A terapia cognitivo-comportamental também tem como característica tratar emoções e situações que acontecem em tempo real, se opondo a situações que aconteceram no passado.

No mais, essa terapia ensina formas saudáveis de lidar com situações que levam ao estresse, para evitar o desequilíbrio de emoções.

Como os pais podem contribuir para a educação emocional de seus filhos?

Os pais ajudam na educação emocional dos filhos os apoiando e ajudando eles a lidarem da melhor forma com situações que trazem à tona sentimentos de estresse, impotência e frustração.

Isso pode ser feito dando conselhos a ele de como se portar nessas situações com mais controle, mantendo uma comunicação leve e amigável, para ele saber que pode contar com você quando algo assim ocorrer na vida dele.

E sempre que houver essa procura, acalme seu filho, tente o divertir e elogiar a sua capacidade de ser forte.

No mais, se você estiver preocupado com o estado mental do seu filho, não pense duas vezes e busque por orientação profissional.

Apenas um apoio adequado de psicólogos e psiquiatras podem ajudar a conter situações de desequilíbrio emocional do seu filho, caso elas já ocorram com certa frequência.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de acompanhar nosso blog!

Conclusão

Com esse artigo, a nossa missão era explicar a você o que é o desequilíbrio emocional e como ele pode se manifestar em crianças, sendo por meio de sintomas como:

  • dificuldades escolares;
  • tristeza e medo constante;
  • timidez exagerada;
  • irritabilidade e agressividade;
  • dificuldade em socializar;
  • problemas no sono.

Caso você suspeite que o seu filho apresente um quadro de desequilíbrio emocional, busque por tratamento com psicólogos ou psiquiatras.

Comentários do Facebook

Deixe um Comentário