Saiba como proteger seu filho sem invadir sua privacidade

Vivemos em um tempo onde tudo é facilmente obtido de forma online, através de um computador ou um celular, e com apenas alguns poucos cliques. A internet já é hoje um dos principais meios de comunicação e oferece informações sobre qualquer tipo de assunto.

Aqui um alerta, os adolescentes – de certa forma – já possuem uma certa familiaridade e algum tipo de intimidade com esse mundo tão informativo e tecnológico, visto já nascerem na Era Digital.

E como saber o que o seu filho acessa, ou como monitorar esses acessos, sem prejudicá-lo ou interferir na sua privacidade?

É preciso muito cuidado e atenção para não acabar tornando-o uma criança reservada e que não se sinta à vontade de contar sobre o seu dia, gerando assim um efeito reverso de falta de confiança com você: pai ou mãe.

Esse é um assunto que gera opiniões contraditórias e, por isso, trouxemos algumas dicas que podem ajudar aos pais a como acompanhar a vida online dos filhos sem que haja uma invasão de privacidade. Acompanhe!

A quais perigos uma criança pode estar exposta de forma online?

Uma relação entre pai e filho vai se transformando conforme os filhos vão crescendo e iniciando a adolescência. E é neste período, que eles sentem uma necessidade natural em ter ainda mais privacidade que antes sobre as suas atividades do dia.

O ambiente online acaba por se tornar um local bastante convidativo, além de muito utilizado pelo jovem, pois como mencionamos anteriormente, é uma fonte infinita de dados e coleta de informações.

Porém, existem também online os inúmeros riscos aos quais a criança pode estar exposta, devido a todos os tipos de sites, aplicativos e usuários muitas vezes mal intencionados, além do tempo que passam na Internet que também pode se tornar um problema para a sua vida social.

Perigos como assédios vindos de adultos e os crimes cibernéticos são os principais pontos de alerta.

Dicas de como monitorar seu filho sem que ocorra invasão de privacidade

Confira as dicas que listamos sobre o assunto, e que podem ajudar e muito a não permitir seu filho vir a pensar que você quer controlá-lo com atitudes invasivas:

  • Estabeleça um limite diário de uso da internet, de forma que ele passe um tempo satisfatório conectado
  • Estipule cômodos da casa para uso compartilhado da família, como por exemplo a sala de estar. Evitando assim que seu filho passe muito tempo trancado no próprio quarto
  • Faça uso de aplicativos e programas que bloqueiam o acesso à sites com conteúdo adulto ou impróprio
  • Esteja sempre aberto a um diálogo e conversa franca com seu filho, criando laços de aproximação e deixando-o assim sempre à vontade de conversar sobre qualquer problema que tiver
  • Procure sempre mostrar que existem outras formas de diversão e entretenimento, seja desenhos animados e séries de censura livre, ou – principalmente – ao ar livre, como por exemplo: pedalar e passear no parque

Não permitir que uma criança mexa no computador ou celular pode não ser a melhor solução, pois a proibição acaba fazendo com que ela descubra uma forma de fazer escondido.

Proibir, nestes casos, não é a melhor opção!

Bom, agora que você já sabe como monitorar seus pequenos sem criar um efeito reverso e gerar uma quebra de confiança para com eles, só pôr em prática!

Gostou do nosso conteúdo? Saiba mais então sobre Sedentarismo em Crianças!

Campanha Relâmpago Natal Ripio

Comentários do Facebook

Deixe um Comentário